domingo, 16 de novembro de 2008

E quem sabe?


O que te agrada? Se essa pergunta for direcionada a mim eu responderia que nada. Hoje em dia me encaixo melhor em relação ao mundo, mas nunca achei muita graça nas coisas, seria eu um ser muito chato ou seriam as coisas muito óbvias? Independente de resposta não é tão divertido quando você entende o porquê ou funcionamento das coisas, sejam brinquedos, brincadeiras sejam pessoas. Ter essa sacada, feeling ou sensibilidade é muito proveitoso ou apenas irritante. Saber o que você quer, esperar uma coisa sabendo que na verdade não vai chegar, pode ser um tanto quanto frustrante e o pior, entender porque não deu certo e não poder falar nada, porque afinal muitas vezes não entendem. Mas por outro lado acredito também que seja uma questão de falta de acontecimentos. Ao mesmo tempo que nada acontece e você analisa tudo você não passa pelo que deveria, só analisa, só julga e por talvez uma inveja ou ciúme, você tenta ser o contrário àquilo que analisou, sim analisou e não vivenciou. Às vezes converso muito comigo mesmo e vejo que na verdade as coisas não são tão óbvias não são sem graça, só são simples a ponto de uma análise não conseguir entender ou captar o real sentido a real essência, só enxerga a parte de fora fácil de ser julgada. Tudo tem um sentido, tudo tem explicação e nem sempre as coisas precisam ser explicadas nem analisadas só acontecer, só se deixar levar e participar... com moderação é claro.

by Fry

Um comentário:

Monyque disse...

é o que acontece com a maioria, julgar sem saber, ter aquele pensamento formado de algo que nem vivenciou pra ter certeza de que é aquilo msm...
E nem tudo na vida tem um pq!