domingo, 16 de novembro de 2008

E quem sabe?


O que te agrada? Se essa pergunta for direcionada a mim eu responderia que nada. Hoje em dia me encaixo melhor em relação ao mundo, mas nunca achei muita graça nas coisas, seria eu um ser muito chato ou seriam as coisas muito óbvias? Independente de resposta não é tão divertido quando você entende o porquê ou funcionamento das coisas, sejam brinquedos, brincadeiras sejam pessoas. Ter essa sacada, feeling ou sensibilidade é muito proveitoso ou apenas irritante. Saber o que você quer, esperar uma coisa sabendo que na verdade não vai chegar, pode ser um tanto quanto frustrante e o pior, entender porque não deu certo e não poder falar nada, porque afinal muitas vezes não entendem. Mas por outro lado acredito também que seja uma questão de falta de acontecimentos. Ao mesmo tempo que nada acontece e você analisa tudo você não passa pelo que deveria, só analisa, só julga e por talvez uma inveja ou ciúme, você tenta ser o contrário àquilo que analisou, sim analisou e não vivenciou. Às vezes converso muito comigo mesmo e vejo que na verdade as coisas não são tão óbvias não são sem graça, só são simples a ponto de uma análise não conseguir entender ou captar o real sentido a real essência, só enxerga a parte de fora fácil de ser julgada. Tudo tem um sentido, tudo tem explicação e nem sempre as coisas precisam ser explicadas nem analisadas só acontecer, só se deixar levar e participar... com moderação é claro.

by Fry

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O teatro que a vida é


A preguiça é tão grande que pessoas têm já frases prontas e nem precisam pensar mais. Que nem, você ouve alguém te falando "aí é osso né brother", tipo, está pronto, nem pensou direito sobre, só passou pela cabeça "ah é algo difícil" então logo sai a resposta, teve um estímulo e respondeu a ele. Ou às vezes, que nem quando você pergunta o que a pessoa faz, ela responde e você automaticamente fala "ah é? Nossa que legal!", pode ser uma coisa bem besta ou que você acha nada a ver, mas você acaba falando, confesso que até eu faço isso às vezes. Tem também aquelas conversas classificadas como "conversa de vó" ou "conversa de tio", você não vê a pessoa por um tempo e quando a encontra, sempre, sempreeeeeeee têm a seqüência de perguntas "olha, como você cresceu” (claro a pessoa não te vê há uns cinco anos), "e o namorado/a?” (você nem namora), "e a escola" (você já se formou na faculdade), está tudo pronto! Até para marcar as coisas, você não vê a pessoa há milênios e quando encontra você fala "poxa, a gente precisa marcar de sair"... Por quê?! Você não vê a pessoa, não procura e não faz a menor diferença se ela está ou não presente na sua vida! O pior é que além das frases prontas tem também as respostas prontas, após ouvir isso a pessoa responde "nossa cara, temos sim, vamos marcar e encontrar o pessoal muita saudade daquele tempo", aí depois dessa conversa super produtiva e sincera as duas pessoas saem sem ao menos pegar o telefone um do outro. Chega a ser desanimadora a convivência social. Nós respondemos a estímulos com respostas já esperadas, com respostas já esperadas e ações já esperadas, tudo é fácil de deduzir, de adivinhar, de saber. No meio dessa preguiça... ou melhor, involução, me pergunto, se a gente age como animais, responde como animais, nunca deixamos de ser animais e nunca deixaremos de ser, por que a vontade de parecer tão mais civilizados e evoluídos? Acho que a resposta está no teatro... temos nossos textos, papéis e tentamos interpretar o que queriamos ou não ser. Fazemos várias peças durante a nossa existência tentando ser melhores mas na verdade, como os animais que achamos que não somos, agimos por instintos. A grande maioria não passa de figurantes da vida.



by Fry

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Sonhos...



É sempre bom sonhar! Mas, e quando acordamos??? Não sei o que acontece com a maioria das pessoas, mas eu, em meio à loucura contida nos meus genes e minha incapacidade de pôr um fim nas coisas, tenho sérios problemas para entender meus sonhos e costumo me agarrar à eles, o que acaba causando certa preocupação durante o dia, dias, até meses... Já tentei acordar e me forçar a entender que era "apenas um sonho", da mesma maneira que tentamos mostrar às crianças que um filme de terror não é nada além de um incrível e emocionante faz de contas. Para que possa ficar claro o motivo de minha preocupação ou até mesmo insanidade, entre dez dos meus sonhos, bons ou ruins, nove deles estão acompanhados por uma pessoa que conheci muitos anos atrás. Claro que os sonhos bons não me causam pânico, nem mesmo falta de sono, entretanto, os ruins podem me fazer dormir por longas horas como me fazer perder muitas noites de sono. Já fazem alguns dias desde meu último 'sonho show de horrores' e ainda não consigo tirá-lo da minha mente, lembro que acordei e fui correndo em direção ao telefone para saber se tudo estava bem, fiquei com medo de usá-lo. Agora percebo que minha vida está girando em torno desse sonho e ainda estou com medo de que se torne verdade, com medo de atender o telefone, com medo de perder minha vida em meio à essa confusão e ficar presa neste túnel vermelho de sentimentos e faces amarguradas. Queria voltar a ser criança, só por hoje, para ouvir alguém me dizer que foi apenas um sonho, apenas um sonho ruim... Como não posso ser criança novamente, tenho que apelar à indústria farmacêutica... alguém tem um trocado?



Lav

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Entender, compreender e entender mais um pouco

Se rebelar, ser do contra, ser radical e não aceitar nada imposto que seja hipócrita e não condiza com seus ideiais e ser rebelde. Isso é ser jovem...não entender o que nos dizem, não entender que querem nosso melhor e querem nosso bem. Do mesmo jeito que não entendem que jovens são jovens e do mesmo jeito que não te entendem, você não entende tudo sobre os mesmos. Falar, falar e falar não serve para muita coisa, de que adianta falar do 8 e do 9 se eles só tem o 5 e 6 e não compreendem o 7? Ou seja, exigir tanto de quem não pode dar o que você quer talvez não seja muito racional, talvez por isso existam adultos tão frustrados e complexados que continuam proliferando esse costume. Mas mais pro final as coisas invertem, os incompreendidos são os mais velhos, pois além de não compreende-los, eles não se esforçam muito para compreender-nos. Só fazem o que querem e falam o que querem do jeito que querem, parecem crianças... talvez por isso toda criança goste tanto dos avós. Nossas idosas crianças.
video



by Fry

I'm so sorry


Desculpas...pedir desculpas não dói, não machuca e não mata, muito pelo contrário. Quantas amizades são perdidas por simplesmente não pedir desculpa, quanto humor foi perdido apenas por não se ouvir desculpa, até a famosa "desculpa esfarrapada" consegue obter resultados. As vezes mesmo não tendo culpa pessoas pedem desculpas, só pelo fato de saber que quem estiver ouvindo vai ficar melhor. Isso é se humilhar? Seria se rebaixar? Acredito demais que não! É muito mais lucrativo fazer o que muitos considerariam se rebaixar e manter uma relação harmoniosa com quem vale a pena para você, do que morrer orgulhoso de ter conseguido ficar sozinho. Pense nisso e... me desculpe.



By Fry

A,B,C....J?


Antigamente eu deixava as coisas acontecerem, em qualquer situação, hoje eu intervenho, vi que posso melhorar as coisas sem esperar que o certo aconteça. A questão na verdade não era esperar, não era intervir, na verdade a questão é ter aprendido o correto e querer que o mesmo ocorra. De uma forma natural de se pensar e se quer se preocupar com isso, hoje em dia, isso se transforma em expectativa de que o outro acerte sem que você tenha que ensinar ou pedir.


By Fry

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

It's you

Um mundo seguro, tranqüilo, calmo... onde tudo que você enxerga ao seu redor não quer dizer nada além de coisas boas e interessantes. Perto de você uma disputa de ego, que realmente você não dá bola e que realmente não quer para você e também não se esforça em querer ou não entender. Um mundo onde todos te enxergam como se estivesse em desvantagem e você não se importa. Um mundo que apesar de sua hostilidade e desavença faz com você se sinta bem, somente porque você enxerga o que te faz bem e prefere não enxergar o mal. Talvez quem esteja em desvantagem somos nós, quem precisa aprender como ser feliz, como não ligar pra coisas bobas... talvez nós sejamos os aprendizes.

video


by Fry